Os desafios da formação para os desafios de hoje

É curioso como a vida é composta por desafios sucessivos. Se assim não fosse muitos de nós nem se sentiriam motivados. Um dos fatores que destaco é a necessidade de assegurar que a formação não te torna em mais uma ocupação aparentemente inútil, para complicar a vida profissional ocupada que todos sentimos nos dias de hoje A formação, para se manter interessante, requer atualização permanente, adaptação das tendências, adoção e incorporação de novos conceitos e teorias e total adaptação ao que os formandos querem e precisam, para ser útil de facto a quem contrata e para assegurar também o sucesso de quem a presta. Destaco o significado de “interessante”: Importante; merecedor de atenção; que

Desafio: formação sim, mas…

Já pensaram até que ponto é eficaz uma formação? Por exemplo, de vendas? Muitas organizações A qualidade da formação oferecida pode facilmente variar, de totalmente inútil a muito interessante. No próximo passo as ações programadas são executadas. Têm teoria, prática, ótimos manuais, até foi uma ação divertida – uma fuga à rotina, é entregue um manual com muito conteúdo e cheio de excelentes referências bibliográficas e as avaliações até são boas e… cada um segue o seu caminho. Será de facto eficaz? Se a pergunta levanta dúvidas, será interessante conhecer algumas formas de tornar uma formação em vendas mais eficaz. Pode até ser aceitável que a equipa não atinja resultados se não está devida

Tecnologia: foco nos sistemas ou nas pessoas?

Na sequência da III Conferência Human da passada semana e do post que coloquei ontem, fui desenterrar esta reflexão, publicada por mim, precisamente na revista Human no início de 2014 (quase há 2 anos!). Por muito que nos foquemos nas pessoas, a questão da tecnologia e dos sistemas de informação (SI) é inultrapassável atualmente. Ao começar esta ref Há dias, ao rever o filme sobre a vida de Steve Jobs, fui também levado ao início dos anos 80 e a recordar a atenção diferenciadora que era dada ao utilizador, neste caso em termos de informática pessoal. Sabendo-se que há mais de trinta anos já se dava atenção às pessoas em projetos de SI e nos interfaces de utilizador, é estranho que em termos

Pessoas e Tecnologia – III Conferência Human

Foi no passado dia 8 de Setembro que participámos na III Conferência Human, mais uma vez para fazer o Graphic Recording das várias sessões. O resultado é o que está à vista! A ideia hoje não é falar do nosso trabalho de registo gráfico, que desperta sempre muitas atenções e que mantém as pessoas ocupadas visualmente enquanto ouvem os oradores, permitindo-lhes seguir o que está a ser dito e exclamando, ocasionalmente um “…ah! assim já estou a ver!”. Não é também hoje nossa intenção falar do resultado final deste tipo de trabalho que fazemos, embora pudéssemos falar das várias hipóteses de utilização posterior dos quadros produzidos. Este, da Conferência Human, foi feito num material sólido, p

Líderes e Organizações Visuais, sinónimo de eficiência

O que são Líderes Visuais? Se os líderes têm como objetivo levar as suas organizações e os seus colaboradores para “destinos” que ainda não existem – a sua “visão”, se pretendem criar nos outros sentido de responsabilidade, se pretendem dar a conhecer as suas ideias e se pretendem que cada um dos seus colaboradores se assuma como responsável pelas tarefas, atividades, projetos ou equipas a seu cargo, nada como mostrar e expor as ideias de forma tão clara quanto possível para permitir um entendimento preciso do que cada um tem que fazer. E organizações visuais? Quando os líderes e a generalidade das pessoas numa organização entendem o poder da comunicação visual então passam a ser feitas reun

Design Thinking? – pensar nas pessoas!

Ao falarmos de Design Thinking é comum perguntarem-nos se trabalhamos em desenvolvimento de produtos ou organizacional (OD) e gostamos de responder, com espírito, que não! “Apenas trabalhamos o desenvolvimento pessoal, pois as pessoas é que fazem as empresas.” A expressão “design” surge associada à qualidade ou imagem de produtos, no entanto não nos podemos esquecer que o seu objetivo último é adequar produtos ou serviços para o bem-estar das pessoas. O Design Thinking (DT) é uma das metodologias que adotámos e utilizamos na atividade de consultoria, em especial na vertente de serviços e que desenvolvemos (em 6 fases) para se adequar às várias realidades em que trabalhamos. Uma das grandes v

FAST – Os 7 passos para uma Formação como Aposta Segura no Tempo

É curioso como as ideias pré-concebidas ou algumas crenças nos traem com tanta facilidade (refiro-me às pessoas em geral). Ainda esta se Esta conversa levou-me a fazer uma retrospectiva a formações recentes que tenho dado e a revisitar feedback de outros formadores nossos, e de facto recebemos, ocasionalmente, comentários desse tipo – muitas vezes no início e que se vão invertendo ao longo da formação. Outro exemplo curioso – este também muito recente – vem de um participante que me dizia (quando lhe perguntei quais as suas expectativas para a formação – e perguntei porque o encontrei com uma postura de desinteresse) que não fazia a mínima ideia, pois tinha sido obrigado a participar. Felizm

InnovationXperience

© 2011-2020 UpSideUp®, UpSquare® e UpStore®  são marcas e iniciativas UpSideUp.pt     |    SITE EM PERMANENTE ATUALIZAÇÃO