MERDA, desculpem o meu francês…

Não costumo ser rude ou mal educado e ainda não vai ser hoje. Tenho partilhado e ouvido as preocupações de diversos pequenos empresários e hoje virei-me para aí. Vou mesmo falar disso e espero que alguém nos oiça (leia, neste caso). Estou apenas a desabafar e acreditando ser esta uma boa forma de envolver (as pessoas) para desenvolver (o País). É que o País anda esquisito! Por um lado há muito desemprego… o que é mau. Depois há subsídios de apoio aos desempregados… o que é bom. Mas as entidades do Estado não estão preparadas para lidar com tanto movimento… o que é mau. E as empresas que se candidatam a tirar pessoas do desemprego são muitas… o que é bom. Mas leva tanto tempo que os empresári

HUMANIZAR AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Dantes éramos apelidados dos “maluquinhos dos computadores“, simplesmente porq Poupava-se nos nomes dos ficheiros (apenas 8 caracteres), no tamanho dos campos (ano só com 2 dígitos, por exemplo) e em quase tudo. Só não se poupavam os utilizadores, pois tudo era simples, às vezes demais, mas pouco simpático no que respeita à forma como o utilizador acedia a cada aplicação. Lembro-me de alguns dos meus primeiros projetos, estávamos em 1980. Os Directores decidiam, os Analistas analisavam, os Programadores programavam, os Codificadores codificavam (os Codificadores???? Sim, na altura, em muitas empresas, os programadores escreviam os programas… em folhas Cobol! Depois os codificadores codificav

ENVOLVER… E A IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA

Musica maestro! Há muitos bons exemplos e eu, agora, ao longo dos últimos meses, tenho tido contacto com um, do qual aqui deixo testemunho. Imaginem um conjunto de pessoas (que podem ainda não ser um conjunto). Todas as pessoas têm uma determinada capacidade, mas não lhe dão uso na totalidade. Essa capacidade, individualmente, tem uma determinada utilidade ou utilidades e em conjunto pode ganhar uma escala diferente. É uma coisa do tipo “a união faz a força”. O exemplo poderia ser uma qualquer empresa, poderia ser um exército, mas não, vou apenas falar-vos do pouco que tenho assistido… de fora, como espectador: um coro musical. No entanto a lição que daqui se retira pode muito bem ser ut

DIA DO (NÃO) TRABALHADOR

Parece-me bem, justo e de valor que se celebre o Dia do Trabalhador! Lutámos por ele e merecemo-lo! Faz-me espécie deparar-me diariamente com casos de amigos ou conhecidos desempregados, há mais ou menos tempo, e que, muitos deles, não demonstrem uma real preocupação com a sua situação, a não ser através das queixas comuns: “está muito difícil”, “farto-me de enviar currículos na net e nem uma resposta”, “não estou a conseguir”, “não há ofertas na minha área”, etc. Sou solidária com todas estas queixas, viáveis (como todas) e verdadeiras! Mas, se está difícil, significa que, tal como na proporção atual de vendas conseguidas por número de contactos feitos, temos de responder a muitos mais anún

InnovationXperience

© 2011-2020 UpSideUp®, UpSquare® e UpStore®  são marcas e iniciativas UpSideUp.pt     |    SITE EM PERMANENTE ATUALIZAÇÃO